Porto Alegre/RS cbimbi@terra.com.br

Agende sua consulta

Má higiene também pode ser higiene excessiva

Diariamente, dermatologistas do mundo inteiro lutam pra convencer pacientes com patologias de pele a mudar seus hábitos de higiene excessiva, o que não é fácil, após a verdadeira lavagem cerebral causada pelos anúncios de TV. Durante décadas, a mídia impôs uma ideia errônea de higiene corporal e ambiental que, por serem contra os princípios de funcionamento sadio do corpo, acabaram provocando epidemia de alergias e outras doenças.

Microbioma humano

O chamado microbioma humano é um conjunto de bactérias, vírus e fungos que auxiliam as células do corpo e não devem ser removidos. São 1 trilhão de células que compõem o corpo humano, e 10 trilhões de microorganismos como seus auxiliares. Portanto, esses microoorganismos devem ser vistos, como auxiliares e não como agressores, não são um sinônimo de germes patogênicos.

Estudos científicos sobre os benefícios dos micróbios

Um novo conceito começou a ser observado partir de uma pesquisa realizada em 2004, pela Universidade de Kyushu, Japão, que estudou animais de laboratório criados em ambiente estéril livres de germes. Foi descoberto que, quando submetidos ao estresse, esses animais produzem o dobro de hormônios do estresse, comparado aos animais normais. Ou seja, são mais afetados e menos preparados para enfrentar condições adversas.

Atualmente, estão sendo realizados diversos estudos sobre os benefícios dos micróbios para a depressão (deixando claro: não são a causa única e nem a principal). A partir daí, outros estudos confirmaram a hipótese e passaram a estudar o papel dos micróbios na saúde mental, gerando avaliações também na área dermatológica. Na pele, 5 mil micróbios habitam cada cm².

Nesta pesquisa, observou-se que o despovoamento do exército de bactérias boas na superfície da pele induz a alergias e infecções. Essas bactérias podem diminuir ou mesmo desaparecer e desproteger o corpo, por exemplo, nos banhos excessivos e com o uso de sabonetes antibacterianos, que acabam com a proteção natural da pele tanto do microbioma, quanto do manto lipídico protetor.

A função imunológica das bactérias no organismo

Esses vírus, fungos e bactérias não invadem o organismo, mas sim, ocupam o lugar de bactérias patogênicas, além de fabricar micronutrientes essenciais e regular as células imunológicas. Hoje, se observa que crianças criadas em ambientes “sujos”, como fazendas, submetidas desde a infância a picadas de insetos, poeiras, contatos com animais e resíduos em geral, têm linfócitos mais exercitados para cumprir funções de defesa quando for necessário mais tarde. Ao contrário, crianças de apartamento, criadas em bolhas estéreis, com excesso de cuidados, sem animais domésticos, com banhos esterilizantes, deixam suas células de coordenação da imunidade preguiçosas e sem noção da função, gerando alergias graves e, por vezes, atacando materiais inócuos – em alguns casos, as próprias células e tecidos, nas doenças autoimunes.

Dicas para uma higiene saudável

1- Evite banhos prolongados. Superando 5 minutos, há a gradual remoção das camadas protetoras de lipídeos onde vivem as bactérias auxiliares;
2- Fuja dos sabonetes antissépticos;
3 – Pratique atividade física que promova a saída de secreção sebácea da superfície corporal;
4 – Yougurt natural (sem adição de açúcar), chá verde Camelia synensis, abacate, linhaça e produtos orgânicos beneficiam todo o organismo; ao contrário a alimentação à base de Junk-food, o tabaco de nossos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Fale comigo pelo WhatsApp!
Powered by